"Estou louco para fazer a cena de sexo com a Drica", diz Alexandre Nero

Ana Cora Lima

Do UOL, no Rio

  • Anderson Borde e Marcello Sá Barretto/AgNews

    Alexandre Nero foi eleito o "Homem da TV" de 2014 por revista masculina numa premiação realizada na quinta-feira (27)

    Alexandre Nero foi eleito o "Homem da TV" de 2014 por revista masculina numa premiação realizada na quinta-feira (27)

Uma das cenas mais esperadas da novela "Império", a transa entre José Alfredo e Cora em um motel vai ser gravada na próxima semana, mas Alexandre Nero já recebeu os capítulos e revelou que está contando os dias para entrar no estúdio.

"Estou louco para fazer a cena de sexo com a Drica Moares, a Cora. Além de ela ser uma gênia, uma parceira maravilhosa, o Aguinaldo caprichou. Tudo é muito engraçado e envolvente. Tem uma coisa de rasgar a camisa dela, uma coisa também sadomasoquista, porque ela tem fetiche por enforcamento desde que o Comendador a enforcou pela primeira vez, e aí ela pede durante o rala e rola. Tem toda aquela coisa selvagem", contou ao UOL. Nero garantiu não ser dessa vez que a tia de Cristina (Leandra Leal) irá perder a virgindade. "Tudo mentira, uma enganação. Ele vai dar um golpe na Cora para recuperar o diamante rosa".

Eleito o Homem da TV de 2014 por revista masculina em premiação realizada na noite desta quinta-feira (27), no Rio, o protagonista da novela das 21h também falou de outra cena aguardada pelo público: a sua falsa morte. "Não gravei ainda. Vou gravar logo depois da cena com a Cora, mas vai ser tranquila, né? Eu só vou estar dentro de um caixão. Tranquilo (risos)", brincou o ator, que na vida real precisou desmentir nesta semana ter sido vítima de um ataque cardíaco nos bastidores de "Império".
 
"Levei na brincadeira, mas acho um assunto muito perigoso e que deveria ter uma regulamentação maior com relação às mídias. Esse negócio de internet está brincando com coisa séria, porque tem gente enriquecendo passando notícias mentirosas. Eles enriquecem a cada clique. Lógico, qualquer protagonista das 21h que morrer em cena vai chamar atenção, vai ter toda uma repercussão e o cara não faz isso de sacanagem, ele faz isso porque está ganhando dinheiro", disse.
 
Antes de subir ao palco para receber o prêmio, Alexandre brincou com o título e com a falta de tempo para planejar qualquer coisa: "Planejar o final de ano? Você sabe o que é gravar uma novela das 21h? Não tem tempo para nada! Só faço gravar, gravar, estudar e decorar o texto, gravar e gravar. Eu não sei se sou mesmo o Homem da Televisão desse ano, mas com certeza sou o cara que nesse momento mais grava, mais passa horas nos estúdios e nas externas, o que mais trabalha". 
As pessoas me agarravam, puxavam o meu cabelo, queriam um pedaço da roupa e gritavam sem parar. Parecia que eu era um beatle Alexandre Nero
Nero admite que a falta de tempo também o impede de sentir a repercussão do seu personagem, mas que ficou assustado com o assédio que recebeu recentemente na premiação de um jornal carioca. "Levei um susto com a recepção calorosa. As pessoas me agarravam, puxavam o meu cabelo, queriam um pedaço da roupa e gritavam sem parar. Parecia que eu era um beatle", disse às gargalhadas.
 
"O Comendador pegou, caiu no gosto das pessoas. Quando a  gente faz, nunca se espera o sucesso ou fracasso. A gente tentar fazer o melhor e o que vai acontecer não depende só da gente, é uma coisa que acontece ou não acontece. Não tem a ver competência nem com qualidade. Tem a ver com alguma coisa, que a gente não sabe com algum segredo que se a gente soubesse faria sempre", analisou.
 
O ator também admitiu que a sorte faz parte do trabalho, assim como ter uma estrutura na retaguarda. "Tenho pessoas maravilhosas ao meu redor. Do autor ao elenco, passando pela caracterização, figurino e produção até chegar a direção Ninguém faz milagre sozinho, né? Claro que tem o meu mérito, mas é um trabalho coletivo". Apesar do sucesso, Nero rejeita o rótulo de novo galã da teledramaturgia. "As pessoas falam do personagem, elogiam e acham atraente o José Alfredo. Não sei se são as rugas, a barba, o sotaque, o jeito másculo, o poder ou o dinheiro. Eu acho que é um todo porque trata-se de um personagem cativante, poderoso e inteligente.O público não gosta de personagem burro".
 
Alexandre Nero, que é cantor e líder da banda Maquinaíma, confirmou ainda que irá participar do Especial de Roberto Carlos no final dos ano, realizando um sonho de infância: um dueto com o rei. "Já sei a música, mas não vou falar, não (risos). Eu sou fã do Roberto Carlos e quem não é, né? É um sonho de criança. Mesmo com 44 anos e sendo profissional, me veio um nervoso na hora do convite. Eu lembrei dos meus pais, que iam pirar com isso".
 
Cenas de "Império"
Cenas de "Império"

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos