Beijo de Félix e Niko é cena histórica em novela e quebra tabu na Globo

Do UOL, no Rio

O tão esperado primeiro beijo gay entre homens em uma novela da Globo aconteceu no último capítulo de "Amor à Vida" nesta sexta-feira, 31, e deu o que falar nas redes sociais. Na penúltima cena da trama, Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso) estão na casa da família na praia e dão um beijo e depois um selinho.

 

  • 20626
  • true
  • http://televisao.uol.com.br/enquetes/2014/01/31/o-que-voce-achou-do-beijo-entre-felix-e-niko.js

Foram gravadas três possibilidades da cena para dar à direção da emissora o direito de escolha após análise. As outras versões foram com um beijaço e com apenas trocas de carícias, sem que os lábios se tocassem.

A Globo já quase exibiu beijo entre dois homens algumas vezes ao longo dos últimos anos. Em 2005, a emissora decidiu não colocar no ar uma cena, que chegou a ser gravada, entre os personagens Junior (Bruno Gagliasso) e Zeca (Erom Cordeiro) da novela "América", de Glória Perez. Na época, a Globo chegou a divulgar um comunicado dizendo que "a direção determinou uma mudança na versão escolhida, optando pela abordagem que julgou mais apropriada para exibição numa novela das oito. Com a certeza de que em nada prejudicou a mensagem geral que a autora passou sobre o tema".

O veto causou reações de revolta e aprovação e levantou a hipótese de um protesto com um beijaço em frente à sede da Globo no Rio.

Em 2011, Toni Reis, presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) enviou carta à Globo questionando o veto à exibição de uma cena, que tinha sido gravada, de um beijo gay na minissérie "Clandestinos - O Sonho Começou".

Na resposta, a Globo disse que, "não cabe [à emissora] promover institucionalmente o beijo gay, assim como não cabe promover o beijo hetero, nem dizer ao autor como ele deve contar a sua história". Além disso, no entendimento da emissora, a causa é a diversidade e o respeito às diferenças, e não seria a teledramaturgia o ambiente adequado para levantar bandeiras de questão moral no campo da sexualidade.

O SBT saiu na frente e exibiu o primeiro beijo gay de uma novela brasileira, em 2011, na novela "Amor e Revolução" entre as personagens Marcela (Luciana Vendramini) e Marina (Giselle Tigre). A cena do beijo durou 40 segundos.

Veja como foi o último capítulo de "Amor à Vida"
Veja como foi o último capítulo de "Amor à Vida"

Saiba como foi capítulo final

Um capítulo final bem cuidado foi o que se viu de "Amor à Vida" nesta sexta-feira (31). Sem deixar de lado as cenas de casamento e nascimento, Walcyr Carrasco conseguiu amarrar uma trama que muitas vezes soou desconexa para os telespectadores. O grande segredo sobre o passado de Aline (Vanessa Giácomo) veio à tona. A grande vilã contou que viu a mãe morrer em um acidente, que ela acreditava, ter sido causado por César (Antonio Fagundes), criada por Mariah (Lúcia Veríssimo) ela jurou vingança.

Na cadeia, após ser chamado de "velho babaca" César teve um AVC. Já em casa, contou a Pilar (Susana Vieira) que foi vítima de Aline e acabou descobrindo que foi a ex-mulher a responsável pela tragédia em sua vida. Com ciúmes de César, por ele a ter traído com Mariah, Pilar pediu ao motorista que sabotasse o freio do carro da rival. Dentro do carro estava Aline com a mãe.  Na cadeia, Aline tentou fugir pulando a cerca elétrica, mas acabou sendo eletrocutada.

Já Paloma (Paolla Oliveira) e Bruno (Malvino Salvador) renovaram os votos de união e celebraram o nascimento do filho, Bernardo. Márcia e Gentil enfim se casaram, mas Valdirene, acaba atrapalhando o casamento da mãe ao quase dar à luz no altar, mantendo a linha bem humorada do núcleo. Supresa também foi causada por Edith (Bárbara Paz). A ex-garota de programa desistiu do casamento com Hebert (José Wilker) e fugiu com o mordomo tatuado Wagner (Felipe Titto).

O quarteto formado por Patrícia (Maria Casadevall), Michel (Caio Castro), Sílvia (Carol Castro) e Guto (Márcio Garcia) selaram a paz e se assumiram como uma "família moderna", e Linda (Bruna Linzmeyer) mostrou seu talento expondo os quadros pintados com o apoio de Rafael (Rainer Cadete). Amarilys foi desmascara por Niko (Thiago Fragoso) e seu plano de barriga de aluguel foi por água abaixo.

Mas a emoção mesmo ficou por conta de Félix (Meteus Solano). O personagem que começou jogando criança na caçamba, terminou se rendendo primeiro à sobrinha, Paulinha (Klara Castanho) e mais tarde ao namorado, Niko. No casamento de Paloma, ele pediu perdão a sobrinha e convidou o "Carneirinho" para morar com ele. Em conversa om Pilar, ela ainda sugeriu que o "papi soberano" fosse morar com ele. Instalado em uma casa na praia, Félix recebeu de braços abertos os filhos do companheiro e celebrou a entrada de Jonatan para a universidade. Na cena final, Félix beijou Niko ao se despedir e, em tom emocionado, se declarou ao pai: "Eu te amo". César, chorando, respondeu ao filho: "Eu também te amo".

Torcida dos atores

Em entrevista ao jornal "Extra", o ator Thiago Fragoso disse ter gostado do rumo que seu personagem teve, após se decepcionar com Eron (Marcello Antony). "Torço muito pelo casal, também porque é muito bom trabalhar com o Mateus. A gente tem uma puta química, uma troca legal".

Sobre o comentado beijo gay, Thiago disse que torcia para isso. "Seria muito legal, um barato. Seria chocante, porque a sociedade é muito conservadora. Não sei se vai contar ponto a favor ou contra, mas na teledramaturgia, como um conceito, seria muito bom. E a gente ia gostar de fazer, é um desafio. Se rolar, deve ser com o Mateus, porque as pessoas ficaram muito decepcionadas com Eron. Acredito que o público não vá perdoá-lo".

Paula Braun, mulher de Mateus Solano, que interpretou a personagem Rebeca também ficou na torcida para que o beijo acontecesse. "Torço demais para isso acontecer. É uma bandeira que levanto há anos. Temos que dar esse passo", disse Paula, entusiasmada. Para ela, histórias entre homossexuais são bem vindas na teledramaturgia.  "Torço pelas pessoas serem mais livres na vida real também, terem a liberdade de andarem de mãos dadas, se beijarem no cinema", completou.

Nessa noite, o beijo polêmico foi o assunto mais comentado ao longo da novela no Twitter, com a hashtag BeijaFelixENiko. Ao longo da novela, alguns telespectadores já torciam pelo beijo gay entre Félix e Anjinho (Lucas Malvacini), que foi o primeiro parceiro dele na trama. Mas a campanha ganhou força pra valer, na reta final da trama, quando o ex-marido de Edith (Bárbara Paz), que caiu no gosto do público e obrigou o autor de "Amor à Vida" a transformá-lo em mocinho, envolveu-se com Niko (Thiago Fragoso).

Nos últimos dias, famosos como Fernanda Paes Leme, Luciana Vendramini, Hugo Gloss, Fernanda Machado,Fernanda Souza, entre outros, e anônimos se uniram e mandaram mensagens para Walcyr Carrasco pelo Twitter. O jornalista e deputado federal pelo PSOL-RJ e integrante da frente parlamentar em defesa dos direitos LGBT ( Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), Jean Wyllys promoveu até uma campanha no Facebook em prol do tão esperado beijo gay entre os personagens de "Amor à Vida": BeijaFelix.
 

 

Notícias relacionadas

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos