"A brasileira típica é doméstica, negra e se chama Maria", diz autor de "Cheias de Charme"

Carla Neves
Do UOL, no Rio

“Cheias de Charme”, trama que substituiu “Aquele Beijo” no horário das sete da Globo, tem como protagonistas três empregadas domésticas: Maria Aparecida (Isabelle Drummond), Maria do Rosário (Leandra Leal) e Maria da Penha (Taís Araújo). Na novela – escrita pelos autores estreantes Filipe Minguez e Izabel de Oliveira – as “secretárias do lar” têm lugar de destaque e todos os personagens da trama giram em torno delas.

Em entrevista ao UOL, os autores contaram por que escolheram retratar o universo das domésticas, que, segundo eles, é tão extenso. “A brasileira típica é doméstica, negra e se chama Maria. São 13 milhões de Marias no Brasil”, destacou Filipe.

Ele frisou, contudo, que não é a primeira vez que uma novela traz empregadas em papeis de destaque. “O ineditismo de ‘Cheias de Charme’ está mais no enfoque, e não no tema. Na nossa trama, quando a empregada vai para casa, o público vai também. A cozinha e as dependências, que nos outros folhetins geralmente são cômodos periféricos, são centrais na nossa história”, definiu.

Filipe afirmou que a novela é, na verdade, uma grande homenagem à mulher brasileira, que, segundo ele, é guerreira em todas as classes. “Um exemplo é a Lygia (Malu Galli), que precisa se desdobrar nos papeis de mãe, dona de casa e advogada requisitada”, disse.

  • AgNews

    Isabelle Drumond, Leandra Leal e Taís Araújo se abraçam na coletiva da novela "Cheias de Charme" (30/3/2012)

Izabel de Oliveira acrescentou que “Cheias de Charme” mostra a mulher que supera os obstáculos e vence as batalhas com alegria. “Acho que esse é o maior segredo das nossas e de tantas outras Marias que estão por aí. Transformar a realidade com alegria, esse é o pulo do gato”, revelou.

Amigo de longa data de Izabel, Filipe contou que a ideia de assinar uma novela como titular pela primeira vez partiu da amiga. “Coloquei muita pilha nele”, admitiu Izabel, contando que conheceu Filipe há 20 anos. “Fomos apresentados pelo ator Luiz Henrique Nogueira, um amigo muito querido dos dois, e fomos nos descobrir quando trabalhamos juntos em ‘Duas Caras’”, lembrou.

Filipe contou que ele e Izabel entregaram a sinopse de “Cheias de Charme” à Globo em maio do ano passado. E aguardaram se a história seria aprovada ou não. O autor negou que eles tenham recebido uma encomenda para escrever uma novela sobre domésticas e voltada para a classe C.

“A relação entre duas mulheres é algo que sempre rende boas histórias. E não tinha muita novela contando a relação entre patroa e empregada. Era uma relação pouco explorada e muito significativa da nossa cultura, da nossa sociedade. E que dá margem para várias situações. Aí começamos a levantar histórias de patroas e empregadas, pensamos em possibilidades e perfis e surgiu a novela”, explicou.

Embora já tenham trabalhado como colaboradores em outras novelas na Globo, tanto Filipe quanto Izabel admitiram que é diferente assinar pela primeira vez – como titulares – uma novela. “Dá um frio na barriga, mas contar com uma parceria alivia”, contou Filipe, sendo complementado por Izabel: “Quando a parceria funciona, como acontece com a gente, é maravilhoso. Porque levar uma novela dá um trabalho muito grande. E a gente conversa muito, pensa junto e se ajuda”, elogiou a autora.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos