UOL Entretenimento Televisão

24/10/2007 - 22h01

"Sou careta, os personagens é que são loucos", conta Juliana Baroni no Bate-Papo UOL

Da Redação
A atriz Juliana Baroni participou do Bate-Papo UOL desta quarta-feira (24), mediado por Marcelo Tas, no qual falou sobre seu papel de protagonista em "Dance, Dance, Dance", novela que estreou no início de outubro na Band.

Juliana fez um paralelo de sua trajetória com a história de vida de Sofia, que define como a personagem de personalidade mais próxima à sua. "Sou careta, os personagens é que são loucos", revelou.

A atriz, que iniciou sua carreira artística como assistente de palco da Xuxa aos 11 anos de idade, diz entender o preconceito que as pessoas têm com paquitas que se tornaram atrizes - fato que ela sentiu na pele. "É chato para quem estuda e está há tempos no mercado", diz.

Em "Dance, Dance, Dance", Juliana atua, canta e dança em uma rotina de gravações de cerca de 12 horas diárias. "Para segurar a onda, estou tomando as minhas vitaminas", confessou.

A atriz ainda falou sobre sua experiência em Portugal com a novela "Senhora das Águas" e do filme "Polaróides Urbanas", dirigido por Miguel Falabella, ainda inédito no Brasil.



Confira abaixo a íntegra do bate-papo, que contou com a participação de 1155 internautas.

(08:03:52) Marcelo Tas: A Juliana nasceu em Limeira. Com 11 anos venceu um concurso para ser paquita competindo com 1200 candidatas. E foi morar na casa da Xuxa! Como sobreviveu a tanta emoção?
(08:09:45) Marcelo Tas: É como ir na Disney e ser convidado para casar com o Mickey!
(08:10:36) Juliana Baroni: Ser paquita da Xuxa foi um grande sonho. Em uma semana eu estava assistindo ao programa da Xuxa e na semana seguinte eu já estava dormindo na casa dela. Lá havia comida japonesa e macrobiótica, não me adaptei, emagreci quatro quilos. Então fui morar com a Letícia Spiller no Leme. Eu tinha de 11 anos para 12 anos. O máximo que eu havia feito era um curso de modelo e manequim. Eu brincava muito de teatrinho com a minhas amigas em Limeira. Até cobrava ingresso, era 1 real.

(08:10:47) Marcelo Tas: Família circense, o seu avô foi palhaço. O pessoal vivia na estrada? Que memórias tem da sua infância?
(08:13:48) Juliana Baroni: Eu não tenho nenhuma memória do meu avô porque quando ele morreu meu pai tinha três anos de idade. Meu avô trabalhou em circo, era o palhaço Palheta. Na Paixão de Cristo ele fazia o papel de Jesus. Meu pai não seguiu o mesmo caminho, mas era um grande cantor da jovem guarda, Os Infalíveis, mas faliram. Deixou isto para casar com a minha mãe. Mas ele me incentivou muito para seguir esta veia artística.
(08:14:37) Juliana Baroni: Eu fui paquita até os 16 para 17 anos. Assim que eu deixei de ser paquita fiz um teste de oficina da Globo e fiz um teste para a novela Cara e Coroa, passei, foi tudo muito rápido. A rotina de ser paquita era muito difícil. Havia o colégio de manhã e depois tinha o ensaio. E também tinha o programa na Argentina.

(08:10:30) Marcelo Tas: No Dance, dance, dance, você faz a Sofia, uma jovem do interior que ama dançar e sonha em se tornar uma estrela dos musicais da Broadway. Alguma semelhança com você é mera coincidência?
(08:18:42) Juliana Baroni: Pela primeira vez estou fazendo um personagem que tenho muita coisa em comum. Agora posso liberar este sotaque do interior. Quando cheguei no Rio tomei um susto, havia um monte de cariocas chiando. E o personagem é de uma menina que saiu de casa cedo como eu. Tem muita coisa de minha vida que estou usando para fazer a Sofia. Isto é muito bom porque posso usar com propriedade estes assuntos. É preciso ter muita coragem para sair de casa aos 11 anos. Também tem a saudade, esta memória da casa, as viagens longas de ônibus para chegar até o Rio. A Sofia está sozinha em SP, sem ninguém, porque ela se perdeu. Eu já havia vivido aquela cena em que ela se despede na rodoviária, então ficou fácil puxar na memória uma emoção. É muito gostoso. A protagonista chora muito. Para segurar esta onda, estou tomando as minhas vitaminas. Além de gravar várias cenas por dia eu canto e danço na novela. Fiz muitas aulas, balé clássico, contemporâneo, jazz, sapateado, hip hop...
(08:23:47) Juliana Baroni: Também fiz um disco que está aqui em primeiríssima mão. Será lançado no dia 1º de novembro. Gravei oito músicas. Fiz aulas de canto para me preparar. O meu pai tinha uma voz do tipo Agnaldo Rayol. E eu cantava muito com ele quando criança. Acabei resgatando isto para gravar o disco. Me emocionei muito com as músicas, chorei muito. Este disco foi um sonho realizado. Porque quando paquita eu tinha um disco que era só um solo. Foi um prazer gravar estas músicas, fui muito bem tratada pela equipe do Nick Bonadio, o produtor musical do disco.
(08:25:04) Juliana Baroni: Para filmar dança não é fácil. Tem dia que temos que parar tudo para gravar só o clipe da dança. Tem várias posições de câmera e as luzes e os cabelos estão diferentes. Tem uma academia de dança onde é o cenário.

(08:32:26) CâmeraUOL:

Juliana Baroni fala sobre sua carreira no Bate-papo UOL (Geovanna Morcelli/UOL)

(08:25:19) Marcelo Tas: Por que você foi morar em Portugal? Como foi a experiência?
(08:27:10) Juliana Baroni: Eu fiquei seis meses em Portugal gravando "A Senhora das Águas". Tinha acabado o meu contrato com a Globo, pensei em viajar e surgiu esta oportunidade. Lá fui super bem tratada, fiz um papel de uma brasileira. Mas eles não têm a estrutuda da Globo, tinham certas dificuldades técnicas. Fiquei por seis meses morando sozinha e senti muita saudade do Brasil. Me pegou uma melancolia, eu sou meio "esponja", se estou em um ambiente triste também fico.

(08:17:29) Fábio 16a: Boa noite Juliana! Tudo bom? Primeiramente gostaria de dizer que estou acompanhando DDDance todos os dias e estou adorando. E gostaria de saber como foi a experiência de gravar uma Novela Musical. Beijos!
(08:31:52) Juliana Baroni: Fábio 16a, estou mutio feliz porque a Sofia é uma personagem muito rica de caráter e me dá a possibilidade de fazer diversas coisas. Começa como uma menina do interior e vai se tornar uma estrela. Eu me preparei muito para fazer este personagem, inclusive preparação física, de dança mesmo. Também tive que reaprender a cantar, gravei o disco. Estou tendo muito prazer em fazer esta novela que é mais trabalhosa que as outras, cerca de 12 horas por dia. Nos primeiros cinco capítulos as cenas eram só externas. Tivemos um ganho muito grande na qualidade de imagem porque foi tudo gravado com a tecnologia HD (High-Definition). Com o HD qualquer imperfeição aparece, mas acho bom que apareçam porque na vida real ninguém é assim, perfeito. Agora está valendo a pena está parecendo película de cinema.

(08:17:39) cris: Oi Juliana, te amuuuu e adoro a novela. Vc deve estar trabalhando muito, não? Tenho curiosidade de saber como é a sua rotina.
(08:33:04) Juliana Baroni: cris, um beijo, 12 horas diárias.

(08:17:50) mimi: Olá Juliana Baroni, vim aqui para parabenizar pela sua atuação na novela Dance Dance Dance... estou adorando ver a novela desde o primeiro dia que começou na Band... Eu adoro dançar balé e jazz e além disso eu faço aula dos dois... Gostaria de saber de vc já fez algum tipo de dança antigamente ou se está só dançando para a novela. E também se vc gosta de dançar e qual o estilo que vc mais gosta.
(08:35:09) Juliana Baroni: mimi, eu adoro dançar, nesta aulas que estou fazendo estou adorando a dança contemporânea porque parece com o teatro. Diferente do balé clássico, tem que criar uma historinha dos movimento. Quando criança minha mãe me levou para fazer balé clássico, mas fiz só uma aula e abandonei. Foi uma pena porque eu tenho o porte para isso. Mas agora estou fazendo. E estou adorando a dança de salão. No primeiro capítulo fiz tango e depois bolero.

(08:18:11) escravo da Juliana: Vc aparenta ter personalidade forte, acha que isso te ajudou a obter sucesso em sua carreira?
(08:36:16) Juliana Baroni: escravo da Juliana, eu tenho. Mas o que nos ajuda a fazer sucesso é não desistir. Tem que ser perserverante porque às vezes dá vontade de deixar tudo. Mas eu tenho vocação. Teve um momento em que eu fiquei oito meses desempregada depois da novela Salsa & Merengue. Nesta época estava dando tudo errado. Um dia eu cheguei em casa e a luz apagou, dai resolvi ir andar na praia e lá pensei que deveria estudar. Passei na PUC, mas antes de começar me chamaram de novo pra fazer novela. Tem uma frase da Hilda Hilst: "Ainda que a janela se feche, é certo que amanhece".

(08:33:29) *~Padma Patil~*: Olha, a novela terá um fim legal??
(08:39:12) Juliana Baroni: *~Padma Patil~*, tem muita coisa da novela que eu sei que não posso contar. Mas o final sempre será legal.

(08:39:16) CâmeraUOL:

Juliana Baroni mostra o CD com a trilha sonora da novela (Geovanna Morcelli/UOL)

(08:33:47) Fabio_Juli Fã!: Juliiii Sou seu fã!!! To adorando a novela, aliás daki a poko começa! Quero perguntar se foi difícil gravar as músicas da novela e qual música do CD é sua preferida?
(08:41:24) Juliana Baroni: Fabio_Juli Fã!, eu gosto de todas as músicas. Elas ajudam a contar a história da novela. Mas tem uma que eu mais gostei de gravar que é a da mãe, se chama "Quero te encontrar". Quando ouvi a letra fiquei muito emocionada e fui muito fácil de gravar por conta disso. Atualmente estou gostando mais da "Cidade Triste", a nossa música de trabalho. Agora estou gostando da idéia de cantar dentro deste personagem da Sofia porque assim divido com ela esta responsabilidade. Ser cantor é uma coisa grande, não tem como levar as duas carreiras.

(08:34:06) Rafá_: Juliana, no seu ponto de vista, qual a principal diferença entre a Globo e a Band? Beijos, adoro teu trabalho.
(08:42:35) Juliana Baroni: Rafá_, obrigada. Tem uma diferença muito grande por razões óbvias de estrutura, a Globo faz novela há 40 anos enquanto a Band está tentando se estruturar agora. Mas está dando tudo tão certo e estou muito feliz podendo realizar um projeto meu.

(08:36:07) carolina: Como vc consegue conviver com as pessoas parando vc para pedir autógrafos tirar fotos etc...
(08:44:31) Juliana Baroni: carolina, estou acostumada com isso porque fui paquita desde criança. Não me incomoda em nada. Claro que se não estou em um dia bom, nem saio de casa. Eu tenho obrigação de tratar bem os meus fãs. Mas confesso que quando era paquita teve um dia que para ir no cinema ver "Ghost" eu coloquei uma peruca, foi a coisa mais ridícula. Fui com as amigas, mas bilheteria já me reconheceram e eu a tirei.

(08:38:21) Deguinho: Você prefere fazer uma vilã ou mocinha?
(08:44:50) Juliana Baroni: Deguinho, eu nunca fiz, adoraria fazer depois da mocinha Sofia.

(08:38:30) ARTHUR: Pode me dizer como está o teu coraçãozinho querida, muito sucesso te desejo, boa noite!
(08:46:00) Juliana Baroni: Arthur, boa note. Meu coraçãozinho está muito bem. Namoro há quatro anos, um namoro firme, em casa não tem bagunça. O nome dele é Cristiano, é ator também e mora no Rio. Eu moro no Rio há 17 anos, mais tempo do que em Limeira, já é a minha casa.

(08:46:44) CâmeraUOL:

Juliana Baroni conversa sobre a novela "Dance, Dance, Dance" (Geovanna Morcelli/UOL)

(08:44:25) Carlao: Gostaria de saber qual a sua formação? E quais escolas vc indica para quem está iniciando a carreira.
(08:49:38) Juliana Baroni: Carlao, não sou boa conselheira porque comecei pelo caminho inverso. Comecei a fazer TV para depois fazer teatro. Mas sempre indico primeiro o teatro. Em SP eu não conheço, mas no Rio eu indico a CAU. É importante ler muito e procurar uma escola de teatro. Eu descobri o teatro em 1998, no primeiro dia eu tremia muito. Também fiz uma adaptação de "As Escravas do Amor" do Nelson Rodrigues.
(08:50:21) Juliana Baroni: Uma pessoa muito importante em minha carreira foi o Miguel Falabella, pois me deu a oportunidade de atuar no filme "Polaróides Urbanas".

(08:44:27) Renata: Boa noite!!! Tenho um filho de 12 anos e entrei pq ele pediu para perguntar se vc tem comunidade no Orkut, pois ele te ama, Juliana... vc pode enviar seu Orkut ou MSN?? bjus
(08:51:49) Juliana Baroni: Renata, tem muitas comunidades no Orkut feitas pelos fãs e também tem da novela Dance Dance Dance. E eu tenho o meu perfil lá também, mas entro de mês em mês, não fiquem chateados se eu demorar pra responder.

(08:45:03) PRETO JÓIA: Em qual atriz ou ator vc se espelha? E qual é na sua opinião o melhor ou a melhor atriz brasileira?
(08:53:11) Juliana Baroni: Preto Jóia, eu cito o Paulo Autran, a Marília Pêra e a Laura Cardoso que contracenei na peça "Veneza" em 2002. Invejo o vigor físico da Laura e quero chegar lá com metade deste talento e com este pique.

(08:45:59) regina: Oi Juliana, tudo bem? Todo mundo sabe que sua carreira começou no programa da Xuxa, sonho de 9 entre 10 meninas na década de 80/90. Agora, fala a verdade pra gente... rolou um preconceito quando vc embarcou na carreira de atriz? Como foi migrar de uma coisa para a outra?
(08:55:00) Juliana Baroni: regina, foi um processo muito natural. Nos primeiros dias de gravação havia comentários de que tinha mais uma paquita porque a Letícia Spiller com a personagem Babalu tinha acabado de estourar. Mas eu sempre fui muito atenta e esforçada, o que fez com que este preconceito não fosse adiante.

(09:02:35) CâmeraUOL:

Juliana Baroni conversa com Marcelo Tas no Bate-papo UOL (Geovanna Morcelli/UOL)

(08:52:27) amigonadela: Como é sua relação com os paparazzi, o que acha da profissão deles?
(08:56:44) Juliana Baroni: amigonadela, acho uma chatisse estar em um restaurante em uma coisa íntima, discutindo a relação ou tomando um chope com os amigos e virem tirar fotos. Mas nunca tive problemas com eles. Claro que temos que dar satisfação para a imprensa na vida real. Quando não estou fazendo um trabalho procuro não aparecer.

(08:52:46) FLAVIA CALMON: SE VC TIVESSE QUE FICAR CARECA POR UM PAPEL VC FICARIA?
(08:58:29) Juliana Baroni: Flavia Calmon, eu faria se fosse indispensável para o papel. É bom esta coisa de ser camaleônica. Claro que deve dar uma insegurança, mas faria sim. Estas mudanças de visual ajudam muito para compor o personagem. No filme do Miguel Falabella estou com o cabelo curto, antes tinha o cabelo na cintura, natural. Eu gosto desta chance de mudar e enlouquecer nos personagens, assim não preciso fazer terapia, coloco todos os meus bichos nos personagens. Mas eu sou careta porque sou de uma família tradicional de Limeira. Quero casar e ter filhos, tudo certinho.

(08:54:10) naiane: Uma personagem com história parecida com vc, como a Soraia, não é menos desafiante? Qual personagem muito diferente de vc mais te fascinou? Conte um pouquinho.
(09:05:06) Juliana Baroni: naiane, na TV foi a Miriam da novela "O Profeta" do Mario Marcio Bandarra com direção do Roberto Talma. Era uma perua de época que pela primeira vez eu pude fazer uma composição na TV. Com ela eu pude fazer todas as loucuras que eu sempre tive vontade de fazer como gritinhos e poses que eu inventava o tempo todo.

(08:57:01) Leo: Oi Ju td bem?? Vc acha que esse trabalho e mto diferente de Floribella? Te adoro Ju cada vez mais seu fã numero 1!!!
(09:06:02) Juliana Baroni: Leo, Floribella era para um público infantil e era uma versão brasileira para uma novela argentina. A sinópse da Dance Dance Dance é da Juana Uribe uma colombiana, mas quem está escrevendo é feito pela Yoya Wursch que é brasileira. Então ela não é tão infantil e tem este toque brasileiro que a outra não tinha tanto. Mas as pessoas estão comparando muito por ser na Band no mesmo horário e por ter esta coisa de cantar e dançar igual a Floribella. A Dance Dance Dance é musical no sentido de que as músicas e a dança ajudam a contar a história.
(09:06:15) Juliana Baroni: Obrigada gente, um beijo...
(09:06:18) Moderadora/UOL: O Bate-papo UOL agradece a presença de Juliana Baroni e de todos os internautas. Até o próximo!

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host