UOL Entretenimento Televisão
 
24/02/2011 - 08h30

Ricardo Pereira encarna primeiro personagem sem sotaque português em "Insensato Coração"

PopTevê

Depois de quase sete anos vivendo entre o Brasil e Portugal, o ator Ricardo Pereira, intérprete do advogado Henrique, de "Insensato Coração", decidiu se estabelecer de uma vez por aqui. "Na vida, não temos de encontrar explicações para algo que é sensitivo. Se me sinto bem em um lugar, por que não vou ficar nele?", questiona o ator, que vive no Rio de Janeiro há um ano e meio. Mas Ricardo está acostumado com mudanças. No início da carreira, quando trabalhava como modelo, morou em vários lugares, entre eles Paris, Milão, Barcelona e Nova York. "Ter viajado muito me abriu a cabeça e me trouxe essa ambição de querer me surpreender e desejar experiências novas. Odeio rotina", conta. Por isso mesmo, não teve dúvidas na hora de deixar sua terra natal por um longo período. "Esse ano, a Globo decidiu investir um pouco mais forte, sabendo dessa minha vontade de morar aqui", explica.

  • Divulgação/TV Globo

    Ricardo Pereira e Paola Oliveira em cena de "Insensato Coração" (18/2/11)

Porém, desta vez, Ricardo não dá vida a um personagem português como fez nas outras novelas em que atuou no Brasil. "É a primeira vez que faço um personagem que não está conectado com Portugal. Ele é livre, solto, a gente não sabe muito de onde ele vem", ressalta. E para neutralizar o sotaque, Ricardo vai à fonoaudióloga duas vezes por semana. Além disso, diariamente faz exercícios e leituras em voz alta. Apesar de já ter incorporado algumas expressões brasileiras e ter perdido bastante o sotaque, ele ainda sente dificuldades com alguns fonemas. Falar palavras com a letra "L" e que terminem com "em", como "bem", por exemplo, não é das tarefas mais fáceis. "São sons bem diferentes daquilo que estou acostumado. É como se eu falasse uma outra língua", analisa. Interpretar um personagem sem uma nacionalidade definida, aliás, tem exigido mais de Ricardo. Afinal, ele precisa ter atenção redobrada na hora de falar o texto. "Você reage por impulso quando atua. Então, tem de pensar muito rápido para responder nessa língua, com a emoção adequada", destaca.

Para compor Henrique, Ricardo também conta com a ajuda da preparadora de elenco Isabella Secchin, com quem se prepara para o papel duas vezes por semana. Ao lado de Isabella, o ator estuda e desenvolve as cenas de seu personagem, que é um advogado bonito e bem-sucedido. Por isso, na história, acaba atraindo uma legião de fãs. Mas é por Marina, personagem de Paola Oliveira, que ele se encanta. "No primeiro encontro, ele fica interessado na beleza dela e investe muito nessa relação", conta. Além disso, Henrique ataca de conselheiro amoroso das amigas da protagonista. Ele dá dicas, principalmente, sobre como as moças devem agir em relação ao "mulherengo" André, de Lázaro Ramos.

Acostumado a interpretar bons moços, Ricardo não se preocupa com uma possível reação negativa dos telespectadores caso seu personagem se volte mais para a vilania. O ator, inclusive, acredita que isso poderia ser um fator ainda mais atraente para o público feminino. "As mulheres adoram o vilão. Elas gostam de homem que não é tão corretinho", acredita ele, que pretende estrear no teatro no Brasil ainda este ano. "Acho que vai rolar uma peça que eu queria", adianta. "No teatro é onde você se recicla, faz todas essas introspecções, onde se viaja um pouco para depois corrigir um monte de coisas", filosofa.

(Por Luana Borges)

Veja também

Carregando...
Hospedagem: UOL Host