UOL Entretenimento Televisão

29/06/2009 - 00h59

"Cama de Gato", nova novela das seis, promete resgatar a importância dos valores morais

PopTevê
Um homem de origem humilde faz fortuna. Mas, ao longo da trajetória de menino simples para milionário, ele perde valores e princípios. É esse o mote de "Cama de Gato", trama global de Duca Rachid e Thelma Guedes.

GLOBO APRESENTA ELENCO DE "CAMA DE GATO", NOVA NOVELA DAS SEIS

  • Jorge Rodrigues Jorge/CZN

    Marcos Palmeira é o perfumista Gustavo que vai se apaixonar pela faxineira Rose, papel de Camila Pitanga na trama

Gustavo, interpretado por Marcos Palmeira, é um perfumista que subiu na vida com talento, persistência e dedicação. O poder e a riqueza, porém, o transformam em um homem arrogante, egoísta e intolerante. "É um personagem com pegada forte. Um homem que, literalmente, se perdeu", avalia Marcos. "É uma fábula que trata de maneira realista e contemporânea a recuperação de valores éticos e morais. Tudo a ver com os dias de hoje", valoriza o diretor Ricardo Waddington.

Nesse meio tempo, Alcino (Carmo Dalla Vecchia), sócio e melhor amigo de Gustavo, descobre que está com uma doença terminal - possivelmente um câncer no cérebro. Sem se abater com a proximidade da morte, ele resolve resgatar a humanidade do amigo e transformá-lo novamente em um homem bom. "Ele passa por um momento que as pessoas têm preconceito de falar. O grande exemplo dele é transformar a notícia de morte em uma espécie de trampolim para quem o cerca", diz Carmo.

É quando Alcino propõe a Gustavo uma viagem ao deserto. Lá, ele planeja lhe aplicar um "susto", para que o amigo reaprenda a valorizar as coisas simples da vida. O problema é que Verônica, esposa de Gustavo e grande vilã da história, vivida por Paola Oliveira, aproveita a "deixa" e tenta matar o marido. "Gente, ela planeja a morte do marido no primeiro capítulo. Imaginem o que vem por aí", empolga-se Paola Oliveira, até então acostumada a interpretar jovens doces e românticas.

Acreditando ter sido vítima de uma golpe por parte de Alcino, e desprovido de dinheiro, documentos ou qualquer coisa que remeta à sua pomposa vida, Gustavo torna-se uma espécie de fugitivo. É quando entra o "toque" inconfundível dos folhetins: sua única esperança passa a ser Rose (Camila Pitanga), faxineira da empresa de cosméticos que até então parecia "invisível". E o improvável acontece: ele se apaixona por ela. "Infelizmente, as pessoas quando estão uniformizadas parecem não serem vistas por muitos, ainda mais dependendo do nível social. Ela sabe quem é o Gustavo, mas ele não sabe quem ela é", explica Camila.

O cenário principal da trama será a Glória, Zona Sul do Rio de Janeiro. No bairro, um dos mais antigos da cidade, vão se desenrolar histórias de todos os tipos. Desde as dramáticas, vivenciadas pelos protagonistas, às cômicas, que prometem se concentrar em mais uma pensão televisiva, desta vez de Genoveva, personagem de Rosi Campos. Ela é mãe de Taís (Heloísa Périssé), e as duas prometem momentos de boas gargalhadas. "A Taís é tipo um grilo falante na vida da Rose", diverte-se Heloísa, que faz sua estreia em novelas.

Segunda novela de Duca Rachid e Thelma Guedes - que também assinaram a adaptação de "O Profeta" em 2006 -, antes mesmo da estreia, tem a missão de, ao menos, manter a boa média de audiência que "Paraíso" resgatou para o horário das seis, entre 24 e 29 pontos. Um dos trunfos foi a escolha de João Emanuel Carneiro, autor do recente sucesso "A Favorita", como supervisor de texto. "Nós temos muita sorte. Quando adaptamos 'O Profeta', a audiência foi ótima. Queremos repetir o sucesso!", avisa a animada Duca Rachid.

(Por Fabíola Tavernard)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host