UOL Entretenimento Televisão
 

Ribeirão do tempo

Capítulo do dia

17/09/2010

Filomena coloca o quadro que Querêncio pintou de Madame Durrel na sala do solar

Filó explica para Ellen que Arminda insistiu para ela e Querêncio se mudarem para o solar. Ellen aconselha a amiga a tomar cuidado e afirma que Arminda lhe parece uma pessoa perigosa. Querêncio tenta conversar com a filha, mas acaba dormindo. Joca relata para Arminda que Bruno e Teixeira estavam conversando com Querêncio na boate. Léia chega em casa mal-humorada e Joca fica assustado com a fúria da mãe. Ari procura Bruno para ajudá-lo a desfazer o mal-entendido com Querêncio. Querêncio conta para Filomena que Teixeira e Bruno disseram que Arminda é perigosa. Ari confessa a Nicolau que está preocupado por ter brigado com Querêncio, mas o senador afirma que quem manda na empresa é Arminda, com quem ele tem as melhores relações. Nicolau diz ao prefeito que quem estiver ao lado dele vai se dar bem. Filomena explica para Querêncio que Arminda falou para ela alertá-lo que Teixeira e Bruno são perigosos. Querêncio fala para filha que o professor Flores pode orientá-los. Filomena recebe flores de Ari em nome da cidade de Ribeirão do Tempo. Teixeira explica para Bruno e Célia que a reunião da diretoria não foi conclusiva. Com a ajuda de Elza, Filomena coloca o quadro que Querêncio pintou de Madame Durrel na sala do solar. A jovem coloca as flores que ganhou perto do quadro. Célia diz a Teixeira que devia pedir a separação, mas ele deixa claro que o momento não é adequado para isso. Bruno vai conversar com Arminda, que o acusa de estar tramando contra ela. Ele se faz de ofendido e a executiva afirma que ainda não sabe o que ficou decidido na reunião. André vai até a redação da Folha da Corredeira e diz ao pai que é melhor ele fechar o jornal a ser sócio de Nicolau. Lincon explica que não teve opção. Pai e filho discutem e Nicolau entra na sala de Lincon. André cumprimenta o senador, friamente, e vai embora. André pede para Sérgio pegar Sônia na casa dela e ressalta que essa vai ser a última vez que ele vai precisar ajudá-lo. Autoritário, Nicolau afirma a Lincon que quer o acidente do avião na primeira página da Folha da Corredeira. Newton explica a Ajuricaba que Nicolau tinha interesse em acabar com o negócio de Tito. O delegado afirma que essa suspeita é absurda. Ari deixa para seu trabalho para atender Filomena. Filó agradece ao prefeito pelas flores e ele diz que se a jovem quiser entrar para a política, garante um lugar para ela. O prefeito avisa ainda que vai programar uma homenagem para Querêncio. Alfredo e um várias pessoas vão até a casa de Romeu com duas garrafas de cachaça para comemorar com Querêncio a nova fase da vida dele.

Hospedagem: UOL Host