Clear Channel tira Howard Stern do ar por indecência

LOS ANGELES (Reuters) - A rede de estações de rádio Clear Channel Communications anunciou na quarta-feira (25) que tirou do ar o programa do apresentador "de choque" Howard Stern, transmitido por rádios de todo o país, em decorrência de uma nova política de "tolerância zero" contra a indecência.

O apresentador disse que a decisão da Clear Channel é uma reação ao episódio ocorrido na final do Super Bowl, em fevereiro, quando a cantora Janet Jackson ficou com o seio exposto durante transmissão ao vivo.

"Estou sob ataque. Eles estão atrás de mim desde 1992", afirmou. "Então Janet Jackson mostrou o peito e pronto, está tudo acabado", disse o auto-proclamado "Rei da Mídia".

Ao anunciar a saída do programa de Stern das suas seis estações, a Clear Channel citou a entrevista que o apresentador fez na terça-feira com Rick Salomon, o homem filmado tendo relações sexuais com a herdeira de uma rede de hotéis e estrela de reality show Paris Hilton. O vídeo foi amplamente distribuído em sites de pornografia na Internet.

De acordo com uma transcrição do programa divulgada pela Clear Channel, cuja sede fica em San Antonio, no Texas, Stern perguntou a Salomon se ele praticou sexo anal e fez referências ao tamanho de seu pênis. Usando um termo racista, um ouvinte ao telefone perguntou a Salomon se ele já tinha feito sexo com mulheres negras famosas.

Em comunicado à imprensa, o presidente da Clear Channel Radio, John Hogan, disse que a empresa decidiu tomar uma atitude para proteger seus ouvintes de conteúdos indecentes. "(O que se ouviu) foi vulgar, ofensivo e insultuoso, não apenas às mulheres e aos afro-americanos, mas a qualquer pessoa que tenha um senso de decência comum", disse ele.

A medida contra Stern foi anunciada um dia após a Clear Channel ter demitido o radialista da Flórida conhecido como "Bubba the Love Sponge", depois que reguladores federais o acusaram de transmitir material de teor sexual explícito na rádio WXTB-FM, de Tampa, e em três outras estações da Flórida.

O programa de Howard Stern, feito em Nova York, é vendido para diversas emissoras pela Infinity Broadcasting, da Viacom, que também é proprietária das redes de TV CBS (que transmitiu o Super Bowl) e MTV. A Infinity opera 185 estações de rádio em todo o país.

O presidente da Viacom, Mel Karmazin, teria imposto medidas de repressão a materiais sexualmente explícitos nas estações da Infinity, afirmando recentemente que "esta empresa não fará propaganda da indecência".

Mas não está claro que impacto a medida terá sobre Stern, que há muito tempo vem desafiando os reguladores federais e já inspirou inúmeros imitadores com seu programa irreverente, que costuma contar com strippers, atores pornôs e seções como "Disque Namoro Lésbico".

UOL Cursos Online

Todos os cursos