CBS cancela nos EUA minissérie sobre a família Reagan

Por Steve Gorman

LOS ANGELES (Reuters) - A rede de TV CBS, sob pressão de políticos conservadores, cancelou na terça-feira (4) a polêmica minissérie "The Reagans" e vendeu o programa ao canal pago Showtime, que pertence ao mesmo grupo da CBS.

Um comunicado da emissora informou que a decisão foi "baseada somente na nossa reação ao assistir a versão final do filme e não na polêmica que se criou em torno dele".

A CBS disse ainda que a versão final de quatro horas não era capaz de "mostrar um retrato equilibrado" do ex-presidente norte-americano Ronald Reagan e sua esposa, Nancy, e que as mudanças subsequentes que haviam sido consideradas pela emissora "não atendiam a essa preocupação".

Em vez de transmitir a minissérie em dois capítulos nos dias 16 e 18 de novembro, a CBS afirmou ter fechado um acordo com o canal Showtime para licenciar os direitos do filme -- ainda não se sabe a data de exibição do programa.

O furor em torno do seriado veio à tona depois que o jornal The New York Times, que obteve uma cópia do roteiro, noticiou no mês passado que o programa retrata os Reagans de uma maneira pouco lisonjeira. Além disso, omite muito do que os republicanos e outros partidários do ex-presidente vêem como suas principais conquistas.

Alguns republicanos também ficaram preocupados com o fato de que Reagan é interpretado pelo ator James Brolin, que é casado com a cantora Barbra Streisand, uma democrata ativista em Hollywood.

Nancy Reagan é interpretada por Judy Davis e tanto a atriz quanto Brolin se dizem liberais, assim como os dois produtores-executivos do programa, Craig Zadan e Neil Meron, cujos créditos incluem "Chicago".

UOL Cursos Online

Todos os cursos