Emissoras de TV dos EUA terão tom mais crítico em 11/9

Por Andrew Grossman

NOVA YORK (Hollywood Reporter) - Um mês antes do segundo aniversário da tragédia de 11 de setembro, as grandes cadeias de TV dos Estados Unidos parecem convencidas a mudar o tom de sua cobertura das cerimônias do dia. Em vez de focar nos atentados diretamente, a televisão irá observar com mais atenção as questões políticas em torno deles.

A extensão da cobertura ainda não foi definida, uma vez que as redes precisam antes conhecer os planos do governo para os eventos. Mas é muito improvável que a ABC, CBS e NBC repitam o menu de 2002 de cobertura ao vivo.

"No primeiro ano, depois da tragédia indiscritível, havia necessidade de que a nação se unisse", disse o vice-presidente da ABC, Jeffrey Schneider. "Para o aniversário de segundo ano, nós obviamente olharemos com muita seriedade para várias questões do país -- e faremos isso por cinco dias."

As emissoras no ano passado transmitiram reportagens detalhadas sobre os ataques e programas sobre o estado psicológico dos Estados Unidos, além de abordar os riscos de novos ataques, evitando tocar em questões políticas.

A ABC este ano terá séries de reportagens, em toda a sua programação jornalística, que irão examinar se guerra contra o terrorismo está funcionando.

A CBS disse ter planos semelhantes, mas os executivos da emissora ainda não sabem se o tema aparecerá em todos os seus programas de noticiário. Os planos da NBC ainda estão em formação.

Schneider falou que o tom mais agressivo não representa uma mudança. "Sempre tivemos uma dose saudável de ceticismo quando abordamos qualquer assunto."

Mas a vice-presidente de notícias da CBS, Marcy McGinnis, admitiu que a mídia estava hesitante em uma época em que o fervor patriótico tomava o país.

"O espírito do país estava 100 por cento com o presidente e acho que a mídia não foi dura como é normalmente", disse ela.

UOL Cursos Online

Todos os cursos