Gloria Trevi pode participar de telenovela mexicana

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A ex-diva pop mexicana Gloria Trevi, que se encontra presa sob acusação de cumplicidade no abuso de menores, pode atuar numa telenovela que a gigante de mídia Televisa vai estrear na segunda-feira, no horário nobre.

Trevi pode fazer o papel dela própria na prisão na cidade de Chihuahua, no norte do México, onde se encontra detida desde dezembro, em algumas cenas de "Velo de Novia".

O produtor da novela, Juan Osório, disse à Reuters que Trevi já aceitou o papel, mas que a produção ainda está buscando as autorizações para pelo menos dois dias de filmagem, depois dos quais decidirá em quantos capítulos aparecerá a polêmica cantora.

"Duas personagens da novela decidem fazer uma visita a Gloria Trevi porque acreditam na amizade e acham que ela é uma pessoa muito sozinha, a quem a sociedade abandonou", explicou o produtor.

A nova novela da Televisa, que vende seus trabalhos em diversos países incluindo o Brasil, é "uma história de amor em que resgatamos os valores do casamento, do vestido de noiva branco e de que, quando você se casa, é para a vida toda", disse Osório.

A Televisa tem planos de fazer uma telenovela protagonizada por Glória Trevi falando sobre a vida escandalosa da cantora. Ela ficou famosa por suas apresentações ousadas e pelos calendários em que posou nua no início da década passada.

Em dezembro último, ela foi extraditada do Brasil para Chihuahua, onde um juiz disse que há provas suficientes para submetê-la a julgamento por cumplicidade em violação, corrupção e rapto de menores.

Foi extraditada em situação semelhante, alguns meses mais tarde, sua backing vocal Maria Raquenel Portillo, conhecida como "Mary Boquitas". O representante e companheiro de Gloria Trevi, Carlos Andrade, continua preso no Brasil, aguardando extradição.

Andrade foi acusado de abuso sexual por uma jovem mexicana, Karina Yapor, que disse ter sido atraída em 1994 pela fama da cantora e a promessa de que também ela seria transformada em estrela.

Como num filme, Trevi foi detida no Rio de Janeiro, em janeiro de 2000, a pedido do México, e passou três anos em diferentes prisões brasileiras, enquanto o processo de extradição se arrastava.

Durante esse período ela teve um filho, Angel Gabriel, concebido atrás das grades apesar de ela não ser autorizada a receber visitas conjugais.

Trevi disse que seu filho foi fruto de um estupro cometido por um carcereiro, mas estudos de DNA feitos no Brasil revelaram que o pai da criança é Andrade, com quem a cantora dividiu sua cela por algum tempo.

UOL Cursos Online

Todos os cursos