Fãs do seriado "As Panteras" na infância batem mais nos maridos

Reprodução

Kelly, Jill e Sabrina incentivaram a
violência na idade adulta, diz pesquisa

WASHINGTON (Reuters) - Crianças que assistem a programas de televisão violentos se identificam com os personagens e acreditam que eles são realistas, o que aumenta as chances delas se tornarem adultos agressivos, afirmaram pesquisadores americanos nesta segunda-feira.

Mas se os pais acompanham seus filhos e discutem as diferenças entre ficção e realidade, eles podem reduzir os efeitos da violência da TV, disse o grupo de psicólogos responsável pela pesquisa.

Foram entrevistados pais, professores e crianças (entre 6 e 10 anos) na região de Chicago e foi feita uma análise de seus hábitos televisivos.

Eles então esperaram até que 329 entrevistados crescessem e se casassem, e então voltaram a entrevistá-los, conversaram com seus cônjuges e verificaram suas fichas policiais.

Quinze anos depois, homens e mulheres que assistiram, gostaram e se identificaram mais com programas de televisão violentos demonstraram a tendência de serem mais agressivos, afirmou o grupo de estudiosos na edição desta semana do periódico Developmental Psychology, publicado pela Associação Americana de Psicologia.

As conclusões não variam de acordo com o status econômico da criança, raça, personalidade dos pais e ocupação, além de outros fatores levados em consideração.

Os psicólogos Rowell Huesmann e seus colegas na Universidade de Michigan reencontraram as pessoas entrevistadas na infância, em 1977, sobre quais programas de TV violentos elas assistiam.

Os programas considerados violentos na época incluem o seriado "Cyborg, O Homem de Seis Milhões de Dólares" e os desenhos animados "Bip-Bip".

Homens que gostavam desses programas apresentaram uma tendência muito maior de empurrar ou sacodir suas mulheres, agredir alguém que os insultou, cometer infrações por excesso de velocidade no trânsito ou ser condenados por outro crime.

As mulheres que gostavam de programas violentos na infância, como "As Panteras", apresentaram quatro vezes mais índices de agressão físicas contra seus maridos, além de cometerem infrações por excesso de velocidade no trânsito ou serem condenadas por outro crime.

Os pesquisadores não acreditam que as crianças que já tenham uma predisposição natural para a agressividade e a violência tendam a gostar mais desses programas.

"É mais plausível que a exposição à violência da TV aumente a agressividade do que a agressividade aumente as preferências televisivas", disse Huesmann em nota.

UOL Cursos Online

Todos os cursos