Filme com Denise Fraga estréia no Carnaval

SÃO PAULO (Reuters) - Coerente com a sua própria crença de que "as pessoas comuns são múltiplas e têm muitas histórias para contar", a atriz Denise Fraga entra mais uma vez na pele de uma personagem que tem a sua cara e a de muitas outras pessoas ao mesmo tempo, no filme "Cristina Quer Casar".

A comédia romântica terá estréia nacional no dia 28 de fevereiro, a sexta-feira de Carnaval, em 35 salas em todo o Brasil.

Cristina é uma brasileira comum -- na faixa dos 30 anos, desempregada, batalhadora e esperançosa.

Nesse impasse em que está sua vida, ela toma dinheiro emprestado mais uma vez, mas investe de maneira inusitada. Faz sua ficha numa agência matrimonial, dirigida pelo não menos endividado Chico (Marco Ricca, de "O Invasor", de Beto Brant).

Através da agência, Cristina marca diversos encontros, um deles com Paulo (Fábio Assunção), que tem todo o jeito de ser um homem ideal. Será?

SOLIDÃO E DIFICULDADES ECONÔMICAS

Na coletiva de lançamento do filme, na segunda-feira, em São Paulo, o diretor e co-roteirista Luiz Villaça -- da bem-sucedida série televisiva "Retrato Falado" -- comentou que este é um projeto que vem tomando forma há dois anos.

O tema, envolvendo afeto, solidão e dificuldades econômicas, a seu ver, não poderia ser mais atual. "Comunicar-se tem ficado cada vez mais difícil, por várias razões", sintetizou.

Apesar da dureza da vida destes protagonistas, porém, a história flui com uma leveza exemplar e com uma naturalidade que dá às vezes a impressão de improvisação, mas fica bem longe disso.

"A improvisação foi ótima numa etapa inicial, porque permitiu que a gente verificasse o que não funcionava e desenvolvesse mais cada situação," explicou.

O único trecho do filme em que a improvisação finalmente vingou foi na parte que mostra uma montagem de depoimentos de diversos clientes da agência matrimonial comandada por Chico.

Nessas imagens em vídeo, figuram testemunhos realmente espontâneos de diversas pessoas comuns, como um motorista de táxi da praça Vilaboim.

Denise, por sua vez, ressaltou que "adora ensaiar" e que esse recurso é muito importante, especialmente quando se trabalha com filmes de baixo orçamento, caso da esmagadora maioria das produções do cinema brasileiro.

No caso de "Cristina Quer Casar", esse orçamento até não foi tão baixo, considerando a média nacional -- atingiu 2,5 milhões de reais, com a parceria da 20th Century Fox (através das leis de incentivo), numa filmagem que se estendeu por seis semanas.

CINEMA É SAGRADO

Atriz tarimbada de teatro e televisão, armada de uma veia cômica irresistível, Denise declara-se apaixonada pelo cinema, que ela pouco fez:

"Cinema tem um lado sagrado, que te transporta para outro lugar. Parece que você está colorindo aquele quadro a quadro que vai correr. O próprio set de cinema tem uma solenidade e um encantamento que são muito bonitos. A televisão é mais descartável por sua própria natureza".

A televisão, em todo caso, continuará sendo o horizonte da dupla formada pela atriz e o marido cineasta. O próximo projeto de Villaça será "Dias de Glória", crônica de dez minutos dentro do "Fantástico" em que se comentará um fato significativo acontecido naquela semana.

No cinema, o diretor prepara uma outra produção, esta de mais longo prazo. Inspira-se na história de Roberto Carlos Ramos, menino pobre que a mãe internou na Febem acreditando que ele sairia de lá doutor e que, depois de passar por poucas e boas dentro da instituição, conheceu uma francesa que o ajudou a tornar-se pedagogo.

(Neusa Barbosa, do Cineweb, especial para a Reuters)

UOL Cursos Online

Todos os cursos