Com "Meu Pedacinho de Chão", Irandhir Santos estreia em novelas

Carlos Minuano
Do UOL, em São paulo

  • Divulgação/Rede Globo

    O ator Irandhir Santos caracterizado como Zelão para a novela "Meu Pedacinho de Chão"

    O ator Irandhir Santos caracterizado como Zelão para a novela "Meu Pedacinho de Chão"

Um dos nomes mais badalados do cinema nacional recente, o ator pernambucano Irandhir Santos ("Tropa de Elite 2", "Tatuagem", "O Som ao Redor") começa a mostrar seu talento também na TV. Depois do sucesso na minissérie da TV Globo "Amores Roubados" ele encara agora a primeira novela na mesma emissora, "Meu Pedacinho de Chão", que estreia na faixa das seis horas, no próximo dia 7 de abril.

Como já é comum acontecer com Irandhir, ele está apaixonado pelo novo trabalho. Em entrevista ao UOL, o ator diz que a trama, ambientada na fictícia Vila Santa Fé é mais do que é uma novela. "Antes de tudo é Luiz Fernando Carvalho", afirma.

O diretor, elogiado por Irandhir, repete em "Meu Pedacinho de Chão" uma parceria com o autor Benedito Ruy Barbosa, que já rendeu grandes sucessos no passado, como "O Rei do Gado" e "Renascer". O convite para a nova novela das seis, segundo Irandhir, chegou de uma forma muito especial, ainda durante o período de gravações de "Amores Roubados". "Quando fui até o Projac conversar com o Luiz Fernando Carvalho, tomei um susto porque normalmente os estúdios estão localizados à esquerda do portão principal, e o carrinho nos levou à direita, pro meio da mata", relembra o ator.

A conversa aconteceu em um espaço montado no meio da mata, ao som do músico, também pernambucano, Siba. "Fui tomado por aquela atmosfera", conta. "Era um galpão sem paredes, onde todos trabalhavam juntos, o figurino, a direção de arte e outros".

Foi levantada no meio da mata uma cidade cenográfica linda, toda lúdica, uma cidade brinquedo, onde tudo remete à infância. Irandhir Santos, ator, encantado com o projeto da novela.

"O Luiz Fernando estava ali no meio e me levou para outro galpão menor, que servia de sala de ensaio para os atores", descreve Irandhir. Lá, ele descobriu e se encantou com a proposta inovadora do projeto. "Foi levantada no meio da mata uma cidade cenográfica linda, toda lúdica, uma cidade brinquedo, onde tudo remete à infância".

O lugar mágico descrito por Irandhir é o mundo de duas crianças, Serelepe (Tomás Sampaio) e Pituca (Geytsa Garcia), os protagonistas de "Meu Pedacinho de Chão". A trama evoca o universo infantil para falar da vida e dos dramas do homem do campo.

Escrito por Benedito Ruy Barbosa em 1971, com viés educativo, foi exibido pela primeira vez no mesmo ano, em duas emissoras simultaneamente, TV Cultura e Globo.  A história, que levanta questões sobre reforma agrária, teve problemas com a censura e cenas cortadas. A novela desta vez dispensa o realismo da versão antiga e ganha ares de contos de fadas, com muitas árvores coloridas e casas revestidas de latas enfeitadas. "Vai ser praticamente voltada para o público infantil", diz o ator.

A nova roupagem abriu espaço para uma boa dose de experimentalismo e de humor. Irandhir conta que os personagens estão também imbuídos e revestidos por essa atmosfera de fábula e de ludicidade.

Da parte de Irandhir, ele garante que se jogou de cabeça. "Entrei nesse processo de ensaio em novembro, logo que terminei "Amores Roubados", todos os dias das dez da manhã às oito da noite, e seguimos assim durante dezembro e janeiro". Ele diz que viveu uma imersão no universo da nova novela. "Teve muito trabalho de corpo, com máscaras, 'comédia dell'arte', improvisação, tudo em prol dessa fábula que estamos construindo".

O ator diz que a novela é inovadora em todos os sentidos. Além do formato menor (com cerca de 100 capítulos, deve ficar no ar aproximadamente quatro meses), o elenco também é enxuto.

O personagem de Irandhir é "Zelão", uma espécie de capataz do coronel Epa (Osmar Prado), latifundiário da região e pai da menina "Pituca".  Avesso ao progresso em todas as suas formas, ele trava uma luta contra seu desafeto, Pedro Falcão (Rodrigo Lombardi), que por ser a favor da modernidade, doou parte de suas terras para a construção de comércios, de uma capela e da primeira escolinha da cidade.

Tido por todos como um homem rústico, o bruto Zelão executa todas as ousadias do patrão. Isso até conhecer a professora Juliana (Bruna Linzmeyer) e se apaixonar por ela. O encontro faz brotar sua verdadeira essência. "Ele será vencido pelo amor e mostrará que no fundo é uma bela criatura".

Para garantir o clima lírico, o diretor Luiz Fernando Carvalho  conduz a equipe como a uma orquestra. A produção de arte artesanal é do artista plástico Raimundo Rodriguez, a cenografia de Keller Veiga, o figurino de Thanara Schonardie e a caracterização é de Rubens Liborio, temperada com  recursos de animação e computação gráfica.

Segundo a emissora, o universo rural foi ressignificado a partir do olhar da criança, mas com um tom de modernidade e de mãos dadas com a síntese do autor. "Estarão lá os coronéis, os capangas, a professorinha, porém revitalizados pelos códigos da contemporaneidade que absorvem, com generosidade, todas essas influências", informou a TV Globo por meio de sua assessoria.

Irandhir não é o único estreante na nova novela das seis. Completam o time Cintia Dicker, Bruno Fagundes e Gabriel Sater. O elenco conta também com nomes conhecidos da casa, como Antônio Fagundes, Osmar Prado, Juliana Paes e Rodrigo Lombardi.  Também na novela, Bruna Linzmeyer, Flávio Bauraqui, Emiliano Queiroz, Ricardo Blat, Inês Peixoto, Paula Barbosa, Dani Ornellas, Johnny Massaro e Teuda Bara, entre outros.

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos