CNN demite editora para Oriente Médio após comentário no Twitter

A rede de televisão americana CNN demitiu uma jornalista após ela ter declarado, no Twitter, seu respeito por um clérigo que teria inspirado o movimento militante libanês Hezbollah. Octavia Nasr trabalhava como editora para assuntos relativos ao Oriente Médio e estava a 20 anos na emissora de TV a cabo americana.

Após ouvir notícia da morte do aiatolá Mohammed Hussein Fadlallah, Nasr escreveu a seguinte mensagem no site de microblogging: "Triste ao ouvir a notícia da morte de Sayyed Mohammad Hussein Fadlallah... Um dos gigantes do Hezbollah, a quem respeito muito."

Estados Unidos e Israel associam o Hezbollah a atividades terroristas. Um representante da emissora disse que Nasr estava deixando a empresa porque sua credibilidade havia sido "comprometida".

‘Erro’
Nasr --que atuava, em grande parte, nos bastidores da CNN-- descreveu seu comentário no Twitter como um "erro de julgamento" e disse que a declaração se referia às posições "pioneiras" do clérigo sobre os direitos das mulheres.

"A reação ao meu tuíte foi imediata, impressionante e é uma boa lição sobre porque 140 toques não devem ser usados para comentar sobre assuntos polêmicos e delicados, especialmente no que se refere ao Oriente Médio", disse ela em uma mensagem em um blog, publicada na terça-feira.

O aiatolá Fadlallah, morto no domingo aos 74 anos, era o mais importante clérigo muçulmano xiita do Líbano.
Ele era frequentemente descrito como o líder espiritual do Hezbollah, formado em 1982.
Clérigo e grupo, no entanto, negavam a associação.

UOL Cursos Online

Todos os cursos