TV estatal da Espanha abandona as touradas


Anelise Infante

De Madri

Pela primeira vez desde 1948, a televisão estatal da Espanha (TVE) fechará o ano sem transmissões de touradas, seguindo uma recomendação do governo.

A medida está provocando discussões entre defensores dos direitos dos animais e partidários do evento, que pedem o boicote à emissora.

A direção da TVE justificou a decisão, alegando que falta verba e que os eventos eram mostrados em horários em que muitas crianças assistiam TV.

A tradição das transmissões de touradas é tanta que o próprio canal estreou precisamente transmitindo de uma arena há 51 anos, a pedido do ditador Francisco Franco.

A direção da emissora explicou que a medida foi tomada por várias razões, entre elas o custo - só entre 2000 e 2006 as transmissões de touradas custaram R$ 78 milhões.

"Transmitir ou não um evento dessas características depende de uns direitos de transmissão que nem sempre estão a nosso alcance", disse a diretora geral da TVE, Carmen Caffarel.

A outra razão é um convênio assinado por todas as emissoras nacionais no mês de março, se comprometendo a proteger os menores de conteúdos pouco apropriados para suas idades.

"Estamos cumprindo um acordo. Não é um veto às touradas", explicou Caffarel, lembrando que nos telejornais ainda aparecem notícias relacionadas com esses eventos.

Polêmica
O deputado do Partido Verde Francisco Garrido disse que "os gastos e os conteúdos das transmissões de touradas não se justificam em um canal público, porque não têm lugar em código ético algum".

Já os partidários do que na Espanha é chamada de "festa nacional" estão sendo convocados a mostrar sua insatisfação.
A rádio católica COPE, dirigida pela Conferência Episcopal, vem orientando os ouvintes em campanhas diárias para que deixem de assistir a TVE, para forçar a emissora a reconsiderar sua posição.

Intelectuais espanhóis também entraram na disputa. Em outubro, um grupo de artistas e escritores apoiou um abaixo-assinado organizado por 70 organizações de defesa de direitos dos animais.

Eles foram ao Parlamento pedir a abolição das touradas. A escritora Ruth Toledano disse que "a única diferença entre um holocausto humano e outro animal é que nós temos voz".

O abaixo-assinado reivindica ainda que seja eliminada do orçamento nacional a taxa de R$ 123, do imposto de renda de cada espanhol, que é investida em eventos de touradas.

Outras emissoras, no entanto, continuam transmitindo os eventos. Os canais públicos locais de Províncias como Madri, Valência e Andaluzia mantêm a programação com médias entre 20% e 30% de audiência.

UOL Cursos Online

Todos os cursos