Os telejornais devem deixar as redações

Flávio Ricco

Flávio Ricco

Colunista do UOL
  • TV Globo/Divulgação

    Quando se despediu da equipe do "Jornal Nacional", Fátima Bernardes precisou apenas virar de costas para a câmera, já que a redação é o cenário do programa

    Quando se despediu da equipe do "Jornal Nacional", Fátima Bernardes precisou apenas virar de costas para a câmera, já que a redação é o cenário do programa

Alguém sabe responder por que os nossos telejornais, de um modo quase geral, insistem em continuar nas redações? Existem, e não é de agora, vários motivos para se pensar em outra coisa. Em primeiro lugar, devemos combinar, já cansou, e depois porque não se justifica mais essa insistência.

Lá fora, de onde costumamos copiar quase todos os modelos, isto está saindo de cartaz. Saindo, pela sua completa inutilidade. Por acaso já se viu uma pessoa qualquer da redação entrar em cena e passar para o apresentador uma notícia de última hora? Isto, no rádio, é a coisa mais comum. Ocorre o tempo todo, mas na televisão nunca se viu, pelo menos que se recorde em anos recentes. Ou será que no instante em que os telejornais são apresentados nada de mais importante acontece no mundo?

Telejornal, no chamado “Newsroom”, foi um modismo que não deu certo e não deu certo porque não souberam fazer funcionar. É bom começar a pensar na volta ao velho e bom estúdio de sempre, com cenários que melhor se adaptem à nossa realidade. O pessoal da figuração, de uma maneira geral, com toda certeza, vai agradecer.

Exemplo do bem

  • Divulgação/TV Globo

    Renata Vasconcellos e Chico Pinheiro no cenário mais intimista do "Bom Dia Brasil"

Um contraste a tudo que tem por aí, inclusive da própria Globo, é o “Bom Dia Brasil”. Aquele cenário pode servir como modelo ideal, porque ajuda a contribuir para um clima mais intimista e de maior informalidade, entre o pessoal que apresenta e o telespectador em casa. Ali não existe o distanciamento ou a frieza dos demais.

Jogado às traças – 1
Por mais irônico que possa parecer, o “Primeiro Jornal”, da Band, não justifica e nunca justificou o seu título, uma vez que entra no ar depois dos informativos de outras emissoras. Mas, até aí...

O grande problema, porém, que parece não ter solução, é a ausência de uma alavanca. Falta isso.


Jogado às traças – 2
Pegar um horário antecedido por programação religiosa, com traço, sem sinal de audiência, é complicado. Não tem milagre, toalhinha ou reza brava que ajude.

Como se não bastasse, o “Primeiro Jornal” ainda tem que pagar quatro intervalos gigantescos e requentar matérias do “Jornal da Band”. Um drama.

Jogado às traças – 3
Ciente de que algo precisa ser feito para alterar esse já antigo estado de coisas, o diretor de jornalismo, o interino Valdir Zwetsch, promete mudanças e investimentos, que serão colocados em prática após o Carnaval.

Existe inclusive a promessa de um novo cenário para o programa. Que os anjos digam amém!

Festinha da pesada

Paula Fernandes era uma das artistas do Verão Jequitimar
Veja Álbum de fotos

O SBT, em todo começo de ano, costuma promover vários shows musicais no Jequitimar, hotel do mesmo dono, Silvio Santos, no Guarujá. Neste janeiro passado não foi diferente.

Diferente foi a postura ou falta de compostura de alguns executivos da emissora, principalmente da área comercial e da própria equipe de organização, que não souberam se comportar como deveriam.

Para se ter uma ideia, os artistas convidados, assistindo a tudo, saíram de lá até meio assim.

Atrasadinho – 1
Se tem uma coisa que chama a atenção do turista que visita a Argentina, sem dúvida nenhuma, é a quantidade imensa de antenas de TV por Assinatura. E isso faz sentido.

Segundo números do Ibope, a penetração da TV paga naquele país acaba de superar a marca dos 81% de domicílios. A Colômbia está no mesmo patamar.

Atrasadinho – 2
No Brasil, embora o crescimento no número de assinantes seja um dos maiores na América Latina, a penetração da TV por Assinatura ainda é pequena. Está presente em cerca de 27% do total de residências.

Devemos chegar aos 80% da Argentina, se tudo correr gloriosamente bem, daqui uns sete anos.

Próxima novela
Iris Abravanel, acompanhando Silvio Santos nas suas férias nos Estados Unidos, continua fechando os capítulos de “Chiquititas” em Orlando. Já mandou os 30 primeiros para a produção.

Como se sabe, ela conta com cinco colaboradores, que trabalham numa base no Morumbi ou mais propriamente no imóvel onde se realizou a primeira “Casa dos Artistas”.

Criando moda

  • Reprodução

    Como Juliana, Mariana Ximenes usa um dos itens mais pedidos pelo público da Globo

No CAT, Centro de Atendimento ao Telespectador, da Globo, os figurinos de “Salve Jorge” são os mais procurados, especialmente da personagem da Giovanna Antonelli.

Mas os três itens campeões de solicitações são as roupas da Charlô, Irene Ravache, os óculos da Juliana, Mariana Ximenes, e bijuterias em geral.


Alguém me explica?
Heaven Delhaye, segundo desejo da Rede TV!, muito em breve terá um programa de culinária, só dela, em espaço privilegiado da grade matinal. Em suas participações no “Se liga Brasil”, sempre mostrou que tem boa presença no vídeo.

A única coisa complicada ainda é o nome que ela utiliza, Heaven, quando o verdadeiro é Maria do Céu. Muito mais simples e bonito também. Pensa nisso.

Capítulo 1

  • Divulgação/TV Globo

    Tony Ramos, que "sumiu" de "Guerra dos Sexos" nos últimos dias

O personagem do Tony Ramos, Otávio, vai sumir de “Guerra dos Sexos” e isto já acontece nos capítulos do começo desta semana. Todo um suspense será armado em cima disso. O que teria acontecido com ele? Otávio voltará ou não? Tam! Tam! Tam! Tam!

Amanhã, neste mesmo horário, o capítulo 2.


Nome diferente
Na Record, sob o comando de Gugu Liberato, o quadro “Qual é a Música?”, baseado no formato “Name That Tune”, terá um outro título. Vai se chamar “Desafio Musical”.

A direção da emissora, no entanto, ainda não definiu a data de estreia.

Contemporâneo
Ao contrário do que muita gente possa imaginar, a nova versão de “Saramandaia”, próxima das 11 na Globo, escrita por Ricardo Linhares, não será uma produção de época.

A história vai correr no período atual, sem  necessariamente entrar em maiores detalhes. Os seus personagens, que fique bem avisado, irão se apresentar falando ao celular e andando em carros do ano, entre outras coisinhas.

Bate – Rebate
•       Rodrigo Faro, depois da final da “Fazenda de Verão”, no dia seguinte já participava das gravações de “O Melhor do Brasil”, na Record.
•       Esse ritmo vai até o dia 15, quando finalmente ele sairá de férias.
•       Chegaram ao fim, no Rio, as filmagens da comédia “Concurso Público”, com direção de Pedro Vasconcellos. Lançamento em julho.
•       Anderson di Rizzi, Danton Mello, Fábio Porchat e Rodrigo Pandolfo estão neste elenco.
•       Todos vivendo personagens de diferentes partes do país, disputando vaga de juiz federal.
•       Também participam Sabrina Sato, Jackson Antunes, Emiliano Queiroz e Pedro Paulo Rangel.
•       A RBS vai transmitir o carnaval gaúcho, utilizando 20 câmeras e cerca de 250 profissionais.
•       Por acaso já caiu a sua ficha sobre essa moça que está leiloando a virgindade? Há quanto tempo ela está levando essa conversa?
•       Agora está falando que trocou o japonês por um gaúcho. Resolve isso logo. Vai de uma vez e pronto.
•       Denis Salles, que vem a ser sobrinho do Homero Salles, diretor do Gugu, assume a direção-geral do “Astros” e “Cante se puder”, no SBT.
•       "Avenida Brasil" cresceu consideravelmente e já é a segunda novela mais vista em Portugal. Está no prestigiado grupo com mais de 30% de participação.
•       Isso acontece fundamentalmente por dois motivos, o término de "Gabriela" e a sua exibição mais cedo, já na faixa das dez da noite.

C'est fini
A Globo ainda está em silêncio sobre o “Criança Esperança”, se haverá ou não o show de todos os anos. Sabe-se, no entanto, que já existe um movimento que visa levar Luciano Huck, a partir de agora ou em 2014, para apresentador do programa. Só não existem informações de como ficaria o Renato Aragão no meio disso.

Eliane Leme, da Band - "se todos fossem iguais a você", rapidamente se manifesta e informa que "a abordagem do CQC em Santa Maria será séria. Não passa pela cabeça de ninguém brincar com um assunto desses". Valeu.

Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!

*Colaboração de José Carlos Nery

Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. Email: colunaflavioricco@uol.com.br.

UOL Cursos Online

Todos os cursos