Big Brother Brasil 10

05/02/2010 - 19h56

Dourado conta que sofreu discriminação na Nova Zelândia

da Redação

Reprodução/TV

Gaúcho disse que se sente mais patriota agora (05/02/10)

Gaúcho disse que se sente mais patriota agora (05/02/10)

 Na hidromassagem, Michel e Dourado conversam sobre a possibilidade de posar para revistas eróticas depois de sair do programa. O gaúcho reitera que não conseguiria posar para uma revista destinada para o público gay. O publicitário acha que é mais fácil para as meninas aceitarem uma proposta destas.

Dourado começa a elaborar uma teoria sobre a sensualidade do povo brasileiro. “O brasileiro é um povo bonito, tem essa sensualidade natural, mas é complicado separar a sensualidade da vulgaridade. A gente percebe isso fora do Brasil. Na Nova Zelândia eu senti na pele. Por exemplo, eu fui alugar uns filmes e a mulher falou que eu tinha que deixar um caução de 150 dólares, não podia alugar videogame, porque eu era brasileiro. Ela contou que teve casos de brasileiro que alugou um monte de DVD e videogame e levou embora pra vender no Brasil. É uma minoria de brasileiros que fazem essas coisas, mas acaba manchando a imagem do povo”, diz.

Ele conta também dificuldades para alugar casa, entre outros problemas. “Depois de ter ido pra lá eu fiquei muito mais patriota. O Brasil tem um monte de defeitos, mas o povo não tem igual. E a paisagem, principalmente a paisagem feminina”, brinca.

Compartilhe:

    Últimas Notícias

    Hospedagem: UOL Host