Big Brother Brasil 10

19/01/2010 - 19h41

No puxadinho, "coloridos" falam sobre homossexualidade

da Redação

Reprodução/TV

Dimmy e Angélica contam casos de preconceito (19/01/10)

No quarto do puxadinho, os “coloridos” Dicesar e  Angélica falam sobre sexualidade, e Cacau entra na conversa. Jose também está no quarto, se maquiando. A mineira fala sobre a relação da família com a homossexualidade dela. “Em Uberlândia é um problema, porque é muito provinciano. Mas a minha família sempre me apoiou”, disse. Depois pergunta para Dicesar quando a mãe descobriu que ele era gay. “Meu bem, desde o primeiro choro”, brinca o maquiador.

“É engraçado, você vê criança, meninos, de cinco, seis anos, já meio afeminados. Acho que a pessoa nasce já definida”, afirma Cacau. “Desde criança todo mundo da minha família sabe e sempre me respeitaram. Mas eu também não ficava falando pra todo mundo. Se me perguntarem eu falo”, conta Dimmy.

Cláudia diz que os gays costumam sempre se destacar no que fazem. “Claro, os melhores maquiadores, cabeleireiros, são gays. Mas também advogado, empresário...”. Angélica destaca que gays não podem doar sangue. “Eu já doei duas vezes falando que sou hétero”, disse.

Compartilhe:

    Últimas Notícias

    Hospedagem: UOL Host