Big Brother Brasil 10Crítica

03/02/2010 - 00h00

Mr. Edição prepara o cenário do pós-Tessália

MAURICIO STYCER
Crítico do UOL
  • Reprodução

    Edição faz brincadeira mostrando um vídeo com o assédio de Maroca a Cadu, chamado
    "Prenda-me se For Capaz"

Com grande habilidade, Mr. Edição deu o tom do que será o BBB depois da eliminação da vilã Tessália: uma casa em pé de guerra, com diferentes conflitos explícitos e alguns latentes, alguma inveja e muita dissimulação no ar.

O programa abriu com o tema “casa dividida” e foi em frente explorando essa briga mais evidente entre os dois grupos de moradores, mas sublinhando outros probleminhas. “Quem não se mostra, não aparece”, disse Lia, um dos alvos da edição. “Quem tem medo do paredão, paredão, paredão?”, cantou Dourado, exibindo excesso de confiança. “Se a gente não se unir, a gente vai se ferrar”, propôs Eliéser, fazendo um grande esforço para sair do grupo dos bobões.

De forma pouco usual, Mr. Edição reprisou em detalhes o conflito entre Lena e Lia, ocorrido na semana anterior e já exibido em outras edições do programa. “A gaiola das loucas”, batizou. Já a briga entre Anamara e Eliéser, ocorrida na véspera, não foi mostrada. Por quê?

A baiana mereceu o bloco mais cômico – e simpático – do programa, que a mostrou como típica fã da cantora Ivete Sangalo. Sem vergonha da fama de “piriguete”, apareceu invejando o bronzeado de Lia, a bunda de Cacau e desejando o corpo de Cadu. “Eu pegaria qualquer um da casa se rolasse clima”, ela explicou.

Tessália teve apenas uma participação significativa no seu último programa. Sem meias palavras, como de hábito, ensinou a Michel: “Tem que socar o Dimi, se não ele vai ganhar o jogo”. Referia-se ao maquiador Dicesar, uma das figuras mais populares dentro e fora da casa.

Sob o pretexto de brincar com a “quase perfeitinha” Fernanda, Mr. Edição também teve a oportunidade de resgatar alguns momentos ambíguos da loirinha no programa. Apesar do seu esforço em ficar invisível, Fernanda foi vista como dissimulada em algumas situações.

Bial, por fim, falou do “descompasso” entre o que viu e o que o senso comum enxergou no paredão que eliminou Tessália. Michel interpretou a frase como sinal de que o apresentador considerou o resultado injusto. Não foi isso que ele disse. “Tenho a impressão que você, Tessália, entrou no programa achando que era um lixo. Foi esnobe”. Devia ter enfiado a mão no lixo, completou Bial. Sugestivo...

 

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é repórter especial e crítico do UOL.

Fórum UOL Televisão - Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Compartilhe:

    Crítica

    Hospedagem: UOL Host