• http://televisao.uol.com.br/bbb/bbb11/critica/mauricio-stycer/2011/02/14/sete-cenas-que-o-bbb11-nao-mostrou.htm
  • Sete cenas que o BBB11 não mostrou
  • 30/08/2014
  • UOL Televisão - Reality
  • UOL BBB11
  • @UOLTelevisao #UOL #BBB11
  • 1
Tamanho da letra
14/02/2011 - 08h02

Sete cenas que o BBB11 não mostrou

MAURICIO STYCER
Crítico do UOL

Cena 1: Festa de sábado no BBB. Adriana provoca Rodrigão. “Se você é homem, como você diz...” Ele fica furioso e começa a gritar com ela. Antes, a moça havia agarrado o modelo, que disse: “Essa encoxada está me deixando excitado”. E ela, na lata: “Quero ver”.

Cena 2. Ainda na festa. Maria tenta seduzir Mauricio. Deita em cima dele e sussurra em seu ouvido. O músico reage: “Isso aqui não é ‘Sexy Hot’ (canal pago). Sai daqui, safada. E tira a mão do pênis”. Maria diz: “Você quer um peludo do seu lado? Eu chamo. Às vezes é isso que você quer”. Mau-Mau responde: “Sai daqui agora.” Maria insiste: “Eu quero ser sua mulher pra sempre. A sua parceira. A sua amiga. A sua tudo. Não fala assim comigo”.

Cena 3. Sequência da cena anterior. Maria fala para Mauricio: “Quer, quer. Não quer, vou fazer o quê? Tem que ter amor próprio”, diz, antes de sair do quarto. Na sequência, ela vai ao quarto onde Wesley está deitado.Dá um beijo no rapaz e diz: “Não vou te atrapalhar”

Cena 4. Logo no início da festa, antes do DJ colocar um reggae, toca uma sirene e Daniel diz: “Eu odeio isso. Odeio!” Ao seu lado, Jaqueline observa: “Você não pode dizer isso aqui”.

Cena 5: Na mesma festa. Wesley conversa com Lucival sobre Maria. “Eu me sinto como aquele cara do ‘Teste de Fidelidade’ (quadro de um programa de João Kleber na RedeTV). Parece que eu só entrei para confirmar se ela era fiel ou não”, diz. Lucival observa: “E você acha que o Mau Mau voltou por quê? O povo adora uma novela. Eles querem é ver o circo pegar fogo”, comenta o jornalista, que completa: “Se vocês tivessem mais tempo estariam juntos agora”.

Cena 6. Noite de sexta-feira. Natália e Diana conversam. “Você viu que o Mau Mau tomou uma punição de 500 estalecas?”, pergunta Natália. “Por quê?”, quis saber Diana. “Por ter imitado ‘a voz’ mais cedo”. Mauricio imitou o diretor Boninho no quarto Jujuba, conversando com Natalia.

Cena 7. Manhã de sexta-feira. Os confinados dormem depois de mais uma festa regada a muita bebida. Soa o aviso para acordarem, mas ninguém se levanta. Uma voz, aparentemente do diretor, é ouvida: “Vocês sabem que sexta-feira, sábado e domingo são dias de prova. Então, tirem a bundinha da cama e fiquem atentos”.

Nenhuma destas sete cenas foi exibida na Globo. Em alguns casos, outros trechos, menos divertidos ou picantes, foram mostrados. As melhores partes foram vistas apenas por quem assistia o canal pago (“pay per view”), por quem acompanha o programa por sites independentes, como o UOL Televisão, ou pelo Twitter, onde essas imagens foram descritas e comentadas.

Estas cenas poderiam ter sido mostradas nos programas de sábado ou domingo. No primeiro, Mr. Edição preferiu exibir Natalia e Diana falando mal de Adriana, depois Adriana falando mal de Diana para Daniel. Também vimos Talula e Paula falarem mal de Diogo, Wesley agarrar Maria, e Diogo, Mauricio e Rodrigão desfilarem pela piscina com roupa da mulher. Uma chatice.

No domingo, um dos dias nobres do BBB, não houve tempo para mostrar nada. Em vez de exibir vários quadros e submeter os candidatos a uma interação com Bial, como sempre, havia um acúmulo de atividades a realizar – eliminação, prova do líder e formação de paredão. Há duas semanas, ocorreu outro samba do crioulo doido – eliminação de um casal, prova do líder e chegada de Wesley e Adriana na casa.
 
A ironia é que estas duas maratonas dominicais foram resultado de uma iniciativa louvável: tirar o programa do marasmo. Mas esta série de novidades acabou forçando o BBB a acelerar o ritmo, o que tornou o programa ainda mais confuso e sem graça.  

Existem hoje pelo menos três BBB11 ocorrendo ao mesmo tempo: 1) o reality exibido diariamente pela Globo; 2) as imagens disponíveis 24 horas por dia para quem paga o “pay per view”; e 3) o programa comentado em sites e no Twitter. O primeiro é, claramente, o pior.